Dados supostamente da Telecom Argentina à venda na dark web

Dados da suposta violação incluem informações de clientes, como endereços, IDs de dispositivos, detalhes de rede e muito mais
Da Redação
16/04/2024

Um hacker colocou à venda por US$ 100 em um fórum da dark web o acesso a dados supostamente pertencentes à Telecom Argentina. De acordo com a postagem do operador de ameaças, os interessados que adquirirem o “pacote” terão acesso a informações pessoais de cidadãos da Argentina. 

Entre as informações que o hacker diz ter em seu poder estão detalhes sobre serviços registrados em nome de clientes da operadora, como roteadores, com acesso a dados como endereços IP públicos e IP privados. Embora essas afirmações não tenham sido verificadas ou reconhecidas até agora pela companhia argentina, o hacker tenta demonstrar a autenticidade dos dados com múltiplas amostras.

Os dados de amostra, de fato, incluem nomes de clientes, endereços, identificadores de dispositivos e configurações de rede, oriundos de diversas documentos ou fontes distintas. 

A Telecom Argentina até o momento não se pronunciou sobre o suposto hack nem emitiu nenhum comunicado oficial.

Veja isso
Paraguai é alvo de ciberataques após hack à operadora Tigo
Principal operadora móvel da Ucrânia é atingida por ciberataque

Esta, se confirmada, não seria a primeira violação sofrida pela Telecom Argentina. Em 2020, ela foi vítima de um ataque de ransomware. O ataque, descoberto em 18 de julho daquele ano, afetou mais de 18 mil sistemas internos, incluindo o sistema de gerenciamento de relacionamento com o cliente (CRM). Os invasores, identificados como pertencentes ao grupo REvil, exigiram um resgate equivalente a US$ 7,5 milhões que deveriam ser pagos na criptomoeda Monero.

Não é possível ainda saber se as informações colocadas à venda na dark web recentemente referem-se na realidade aos dados obtidos no ataque cibernético de 2020.

Atualizaremos esta notícia assim que tivermos mais informações sobre a suposta venda ou uma confirmação oficial da Telecom Argentina.

Compartilhar:

Últimas Notícias