Hackers chineses são suspeitos de ter invadido rede da Volkswagen

Dados roubados em ataque cibernético ocorrido há mais de uma incluem informações internas confidenciais, desde planos de desenvolvimento de carros elétricos até veículos movidos a células de combustível de hidrogênio
Da Redação
26/04/2024

A Volkswagen encontra-se em meio a uma operação de investigação e remediação de incidente em grande escala, com suspeitas que apontam para hackers que operam a partir da China. O ataque cibernético à montadora alemã de veículos, que ocorreu há mais de uma década, continua a repercutir até hoje.

Os dados roubados no ciberataque, que durou vários anos e foi descrito como “explosivo”, incluem informações confidenciais sobre o funcionamento interno da Volkswagen, que vão desde propriedade intelectual e planos de desenvolvimento de carros elétricos até veículos movidos a células de combustível de hidrogênio (H2V), áreas cruciais para a competitividade da montadora no mercado global.

Investigações jornalísticas lideradas pelo site ZDF e o jornal Der Spiegel revelaram mais de 40 documentos internos implicando hackers chineses na operação, considerada bastante sofisticada.

A cronologia dos ataques cibernéticos à Volkswagen, que vai de 2010 a 2015, destaca o planeamento e execução meticulosos por parte dos cibercriminosos. Os relatórios sugerem que os hackers analisaram meticulosamente a infraestrutura de TI da montadora antes de violarem as suas redes, levando à exfiltração de aproximadamente 19 mil documentos. Entre a propriedade intelectual roubada estavam informações sobre tecnologias emergentes, como carros elétricos e veículos movidos a células de combustível de hidrogênio verde (H2V), áreas cruciais para a competitividade da Volkswagen no mercado global.

Veja isso
Fornecedor vaza dados de 3,3 milhões de clientes da VW
Volvo admite incidente e roubo de dados de pesquisa

Embora a China não seja diretamente acusada, as evidências apontam para o seu envolvimento, com endereços IP rastreados até Pequim. Além disso, as ferramentas de hacking utilizadas, como a China Chopper, implicam ainda mais os chineses, embora provas permaneçam inconclusivas.

As implicações das violações de dados à Volkswagen vão além da espionagem corporativa, levantando preocupações sobre concorrência desleal na indústria automobilística.

A notícia ganhou repercussão por surgir em plena Exibição Automotiva Internacional de Beijing 2024, também conhecida como Auto China 2024, que começou nesta quinta-feira, 25, na capital chinesa, e da qual participam várias empresas alemãs do setor automobilístico. Cerca de mil veículos estão sendo exibidos na Auto China, entre os quais 278 são movidos a novas energias. Com imprensa e agências de notícias internacionais.

Compartilhar:

Últimas Notícias